Fundadores: Vitor Aleixo e Ricardo Tavares
Diretor: Vitor Aleixo
Chefe Redação: Ricardo Tavares
Ano: IX
Nº: 427

Orquestra Sem Fronteiras deu concerto de reis no Fundão e na Covilhã Voltar

MÚSICA: Orquestra sem Fronteiras entrou em matiné este ano de 2020 e este domingo, no mesmo dia, a mesma tocou no Fundão e na Covilhã, para dar as boas-vindas ao ano que agora começa

A Orquestra Sem Fronteiras já tem por hábito vir ao nosso distrito para apresentar os seus últimos projetos e trabalhos, e este início de ano não foi exceção. Em véspera do Dia de Reis, a mesma realizou um concerto de reis este domingo passado, tanto no Fundão como na Covilhã. De manhã começaram a matiné pelo município fundanense e, cerca de seis horas depois, tocaram ao fim da tarde na Covilhã. Os concertos foram realizados na Moagem e na Igreja de São Tiago respetivamente.

Os concertos foram ambos de entrada livre e serviram para entrar da melhor maneira neste novo ano 2020. Aliás o tema escolhido versou exatamente sobre este novo ano civil, sendo o seu objetivo promover aos espectadores uma atitude de reflexão, tendo então apostado em obras que façam pensar sobre o tempo e o lugar em que estamos e vivemos. As obras tocadas por esta orquestra, que tem como diretor musical Martim Sousa Tavares (filho de Miguel Sousa Tavares) e como clarinete o reconhecido Rodrigo Orviz, foram “The Unanswered Question” de Charles Ives (Haydn, Sinfonia nº49, “La Passione”) e Abertura de “L’Amore Industrioso” de J. Sousa Carvalho (Mozart, concerto para clarinete).

Os espetáculos tiveram muito ambos muito boa adesão, tendo tido boas casas a assistir a estas grandes obras, tocadas por uma orquestra muito jovem mas muito bem dirigida e que tem crescido a olhos vistos nos últimos tempos. E prometem voltar muito em breve!

 

- 07 jan, 2020
- Fernando Gil Teixeira