Fundadores: Vitor Aleixo e Ricardo Tavares
Diretor: Vitor Aleixo
Chefe Redação: Ricardo Tavares
Ano: IX
Nº: 421

A Cultura em tempos de quarentena Voltar

CULTURA: Devido à rápida propagação do Covid-19, todos os eventos da região foram adiados ou mesmo cancelados, sendo necessário encontrar alternativas culturais em tempos de quarentena

Ninguém está alheio a esta nova realidade que atingiu o mundo e em particular o nosso país, principalmente nas últimas duas semanas. O Covid-19 chegou de facto a Portugal no dia 2 de Março e desde então fez adiar ou cancelar eventos culturais pelo país fora, incluíndo claro a nossa região. O objetivo é evitar aglomerações de pessoas tanto em espaços fechados como abertos para conter a progação do vírus.

A cultura é ainda assim fundamental também nesta fase, até porque é esta que nos permite evitar alarmismos excessivos e manter a tranquilidade possível em tempos de tanta inconstância. Têm-se multiplicado iniciativas de vários artistas e espaços culturais para lhe fazer chegar cultura de forma gratuita enquanto estiver em casa de quarentena, para que a cultura continue a estar onde tem de estar: perto de quem a consome. Por isso mesmo, opções não lhe faltam. Todos os canais tanto de sinal aberto como de cabo (mesmo só os pacotes mais básicos) vão ao longo destes dias transmitir vários filmes e espetáculos gravados, incluindo estreias. Também tem à sua disposição diversos museus nacionais e internacionais a oferecer as visitas online interativas aos seus espaços, nomeadamente a Gulbenkian, Museu do Prado, Museu Britânico, Museu do Louvre entre outros. Além disso, também na música têm existido vários cantores e grupos a fazer concertos em casa transmitidos em direto gratuitamente, como por exemplo fez Salvador Sobral no último sábado. Para saber os próximos que o irão fazer basta realizar uma pequena pesquisa online e verá que vários estão a aderir. Também algumas editoras como a Chiado estão a oferecer ebooks diferentes diariamente para que se esgotar as suas opções físicas não tenha de sair de casa.

Nesta fase complicada, dê asas à imaginação e mantenha-se ligado ao mundo, ainda que de uma forma diferente. E não se esqueça, quando esta fase negra passar apoie os artistas, que vão sofrer e de que maneira nesta fase. Compre discos, compre livros, vá a concertos, visite museus, compre peças de arte. Eles vão precisar de nós, assim como nós agora estamos a perceber o quanto precisamos deles!

- 17 mar, 2020
- Fernando Gil Teixeira