Fundadores: Vitor Aleixo e Ricardo Tavares
Diretor: Vitor Aleixo
Chefe Redação: Ricardo Tavares
Ano: IX
Nº: 414

CMC apresenta medidas de apoio para famílias e empresas Voltar

APOIOS. Município da Covilhã criou medidas para apoiar famílias e empresas e também apresentou iniciativas que visam ajudar os profissionais de saúde e as forças de segurança

Com o Plano de Emergência decretado a nível nacional e municipal, o presidente da Câmara Municipal da Covilhã apresentou na última reunião do executivo, que se realizou por vídeo conferência, na sexta-feira, dia 20, medidas de apoio para as famílias e empresas e que visam “minimizar” os efeitos do Covid-19.

Entre as medidas apresentadas pelo autarca covilhanense que “mereceram apoio e concordância de todos os vereadores” consta a suspensão de processos de execução fiscal e de contraordenações, a suspensão da taxa de encargos de cobrança por atrasos no pagamento da água, a suspensão da cobrança de juros de mora por atraso no pagamento e a isenção da cobrança de estacionamento tarifado. De referir que foi ainda alargado em 10 dias úteis o prazo de pagamento das faturas emitidas pela Águas da Covilhã, nos meses de março e abril.

Já às pessoas singulares e agregados familiares que estejam em situação de carência ou que tenham visto o seu rendimento motivado pela situação de lay-off, vai ser concedido um desconto de 50% na fatura, sendo “aplicável em todas as tarifas fixas e variáveis até ao valor máximo de 10 euros”.

Já as empresas e trabalhadores independentes podem fazer o pagamento da fatura de “forma fracionada e sem encargos acrescidos”.

Estas medidas de apoio às famílias e empresas vigoram pelo prazo de um mês a partir da emissão do despacho, que irá acontecer na próxima reunião do executivo, no dia 3 de abril, “podendo ser prorrogado”, sublinhou o edil covilhanense.

Autarquia «ajuda» profissionais de saúde e forças de segurança

A Câmara Municipal da Covilhã já encomendou um «contentor» que ficará localizado na entrada do Centro Hospitalar Pêro da Covilhã, para que nesta estrutura “possa ser feito o primeiro rastreio a suspeitos portadores do coronavírus”.

A autarquia contactou ainda responsáveis da hotelaria, no sentido de disponibilizarem espaços que “sirvam de retaguarda para profissionais de saúde e de segurança que não queiram regressar a casa para não contaminar as famílias, nem serem contaminados”, sendo que “nestes espaços podem ainda ficar doentes que estejam em fase de recobro”.

Em fase de criação está também uma linha de apoio psicológico para os munícipes, que com a coordenação dos presidentes das Juntas de Freguesia e as forças de segurança pretende “garantir o fornecimento de medicamentos e alimentação aos cidadãos mais vulneráveis, entre outros, que precisem desta ajuda”, concluiu o presidente da Câmara Municipal da Covilhã.

- 24 Mar, 2020
- Ricardo Tavares