Fundadores: Vitor Aleixo e Ricardo Tavares
Diretor: Vitor Aleixo
Chefe Redação: Ricardo Tavares
Ano: IX
Nº: 414

EDITORIAL: A importância do verdadeiro Jornalismo em tempos de crise Voltar

«É fundamental que se cimente mais o gosto pela leitura, pelas notícias verdadeiras, pois a «morte» dos jornais diários e semanários, sejam eles nacionais ou regionais seria o enfraquecimento total da Democracia e do Serviço Público. E como agente responsável mais uma vez peço, deixem a saúde para os médicos, enfermeiros e demais agentes da área, são eles que ajudam a salvar Vidas, e deixe também o jornalismo para os Jornalistas!»

 

Em tempos de crise como a que atravessamos o jornalismo tem um papel fundamental na sociedade e nas comunidades. Obviamente que depois dos médicos, profissionais de saúde e segurança que desta feita estão na linha da frente e merecem o nosso maior respeito, os jornalistas exercem um papel crucial na informação verdadeira e isenta, para evitar que haja um «surto» de notícias falsas que inundam as redes sociais, de sites e blogues nada credíveis, com «falsos jornalistas», o que contribui apenas para alarmismo e desinformação.

No entanto o país vive dias difíceis em todos os termos e o jornalismo obviamente que também não escapa às dificuldades, mas temos que ser resilientes e apostar no nosso jornalismo isento.

Há dias li o Editorial de Manuel Carvalho do Jornal Público e reti algumas das suas ideias. Dizia ele: «A pandemia da covid-19 vai-nos obrigar a um extraordinário esforço de resistência para reduzirmos ao máximo os impactes do vírus. Para que esse esforço faça sentido, para que a coesão nacional se reforce, para que todos saibamos exatamente o que nos espera e o que podemos e devemos fazer é indispensável haver informação credível». «Um jornal e o jornalismo só o são plenamente se orientados pelo espírito de serviço público e pela obediência a um código de valores que vai desde o respeito pelas minorias, pela luta contra a discriminação, a defesa da democracia, do estado de direito, da liberdade de expressão ou da tolerância à necessidade de escrutinar os poderes para evitar abusos e defender os cidadãos».

O jornalismo faz-se para as pessoas, para a comunidade, com o maior sentido de responsabilidade, cabe a si Leitor ajudar a que este não perca força nesta crise, pelo contrário, é imperativo que se consumam cada vez mais jornais, é fundamental que se cimente mais o gosto pela leitura, pelas notícias verdadeiras, pois a «morte» dos jornais diários e semanários, sejam eles nacionais ou regionais seria o enfraquecimento total da Democracia e do Serviço Público. E como agente responsável mais uma vez peço, deixem a saúde para os médicos, enfermeiros e demais agentes da área, são eles que ajudam a salvar Vidas, e deixe também o jornalismo para os Jornalistas!

- 24 Mar, 2020
- Vítor Aleixo