Fundadores: Vitor Aleixo e Ricardo Tavares
Diretor: Vitor Aleixo
Chefe Redação: Ricardo Tavares
Ano: IX
Nº: 414

Moda que é moda: Globos de Ouros 2020 Voltar

por Tiago Matos, finalista em Design de Moda pela Universidade da Beira Interior

Com o início de mais um ano, aproxima-se a época de entregas de prémios de todos os tipos de entretenimento, seja na música, cinema ou em televisão, entre outros. No passado dia 5 deste mês decorreu a 77ª gala dos Globos de Ouro em Beverly Hills, uma premiação para cinema e televisão, que serve como medição para tentar perceber quem ganhará a corrida aos óscares. Este ano, o comediante Ricky Gervais voltou a ser apresentador e o seu monólogo de abertura voltou a gerar polémica. Conhecido pelo seu humor negro e por não ter “papas na língua”, o apresentador teceu piadas sobre os diversos temas atuais desde o “baby yoda” à Greta Thunberg. Usou também o seu tempo de antena para criticar a falta de representatividade negra e feminina que se fez sentir nos nomeados deste ano e abordou temas como pedofilia, onde usou o documentário “Leaving Neverland” e o filme “The Two Popes” como exemplo.

Como cerimónia, não é cerimónia sem a red carpet, é mandatório falar dos looks. Não foi de todo uma red carpet de deixar a “boca aberta”, mas como sempre, houve o bom e o mau. Notou-se uma grande adesão aos típicos vestidos compridos e a mangas trabalhadas, sobretudo em forma de balão. Começando pelos melhores looks, na minha opinião o melhor e mais arrojado foi o da jovem atriz Joey King (nomeada pelo seu papel na minissérie “ The Act”, baseada numa história real sobre vários tipos de abuso, a qual aconselho a ver), já que usou um mini vestido branco com capa, todo de impressão 3D com detalhes a preto, uma criação de Iris van Herpen e certamente inovador e único. A atriz Sairose Ronan, que usou um vestido de alças, comprido e reto do atelier Swarovsky cheio de aplicações da marca; a atriz Jennifer Aniston que para além do seu vestido preto de cauda e decote drapeado protagonizou um dos momentos virais da noite juntamente com Brad Pitt. Helen Mirren provou mais uma vez que a idade não impede nada e desfilou com um vestido bordô com uma cauda bastante distinta. Quero destacar também Nicole Kidman, Reese Whitherspoon e Scarlet Johansson, todas com dignos looks.

Quanto aos piores na minha opinião, temos o vestido canário de Cate Blanchet que peca pelas aplicações prateadas no peito que não jogam de todo com o resto do vestido; Jennifer Lopez e o seu vestido branco e laços ao peito que falham pela junção de cores; e por fim a atriz Charlize Theron que é raro aparecer nesta parte da lista mas que falhou redondamente na escolha da cor (verde alface) do seu vestido com uma alça em drapping, um top preto por dentro e ainda uma capa da mesma cor, tudo influências gregas, mas que infelizmente não chegaram para surpreender.

Para acabar, os looks masculinos não se deram muito ao imaginário, ficando-se pelos cortes clássicos e o uso genérico do preto. Porem a elegância sobressaía, como é o caso de Brad Pitt, Joaquin Phoenix, Adam Driver (todos na corrida aos óscares) e Tom Hanks que foi homenageado com o prêmio Cecil B. DeMille deste ano (distinção honorária para uma personalidade da indústria cinematográfica pela sua carreira ao longo dos anos).

Após os Globos, seguem-se os Óscares e os Grammy´s. Quais são as vossas apostas e esperanças para os vencedores e looks da red carpet? Volto nos Óscares, até à próxima!

- 28 Jan, 2020
- Tiago Matos