Fundadores: Vitor Aleixo e Ricardo Tavares
Diretor: Vitor Aleixo
Chefe Redação: Ricardo Tavares
Ano: IX
Nº: 414

Rotas Beirãs: Museu dos Lanifícios e a história de uma cidade têxtil Voltar

O Museu dos Lanifícios, parte da Universidade da Beira Interior, localiza-se nas antigas tinturarias da Real Fábrica dos Panos, que existia desde 1764, onde foi fundada por Marquês de Pombal. Numa cidade com tanta história no sector têxtil, este museu é o rosto da Covilhã e de todo o seu percurso nessa área. O lema deste museu é “Os fios do passado a tecer o futuro”, já que o mesmo adota uma estratégia de conservação ativa, ou seja, apesar de mostrar o passado e a história do sector e da sua presença na cidade e na região, o mesmo também aposta na investigação e divulgação da tecnologia associadas ao processo de industrialização dos lanifícios.

Este museu, cuja diretora é Luísa Salvado e que se encontra no espaço da UBI, logo depois de passar a rotunda do Rato e o arco da universidade, divide-se em 3 diferentes núcleos:  Núcleo da Real Fábrica de Panos ( com o período da pré e proto industrialização dos lanifícios); Núcleo das Râmolas de Sol (ao ar livre constituído por um conjunto de râmolas de sol e um estendedouro de lãs); e, por último, o Núcleo da Real Fábrica Veiga / Centro de Interpretação dos Lanifícios (sede do museu, com as valências de Núcleo Museológico da Industrialização dos Lanifícios e de Centro de Documentação/Arquivo Histórico dos Lanifícios). Este museu tem um serviço educativo de elevada qualidade, com várias visitas guiadas e workshops de tecelagem artesanal, para além de duas áreas para exposições temporárias, que recebem não só trabalho relacionado ao têxtil mas também a outras artes plásticas. É também neste espaço que se realizam alguns dos desfiles dos alunos de Design de Moda da UBI. O auditório deste espaço possui 50 lugares, recebendo também alguns eventos da universidade e ainda há 2 lojas dentro do museu.

Conheça melhor a história bem guardada mas tão marcante da sua cidade e, se ainda não conhece este museu, aproveite porque é definitivamente merecedor da sua visita.

 

- 24 Mar, 2020
- Fernando Gil Teixeira