Fundadores: Vitor Aleixo e Ricardo Tavares
Diretor: Vitor Aleixo
Chefe Redação: Ricardo Tavares
Ano: IX
Nº: 436

"Fico em casa" com Carlos Morgadinho Voltar

Após a crise que a empresa CIMD atravessou no ano de 2015, foi decidido entre esta e o Grupo IMI (grupo a que pertence) manter o rumo traçado antes da mesma, continuando assim com os investimentos projetados como, por exemplo, a implementação de novos setores. Ao fim de cinco anos, quando pensávamos estar no bom caminho da recuperação e no caminho da consolidação, tendo empregado no último ano cerca de 60 pessoas passando a ser 130 colaboradores, a vida vem dar-nos uma lição, daquelas que nos obriga a fazer uma introspetiva e obriga a repensar as nossas prioridades pessoais e coletivas!

Neste momento, a CIMD, em colaboração com o Grupo IMI, seguindo sempre, de forma atenta, as orientações do Governo, decidiram manter a atividade produtiva.

De salientar que, desde a primeira hora, a CIMD, S.A. aderiu ao plano de contingência recomendado pela Direção Geral de Saúde, porque, acima de tudo, tem de existir sempre respeito pelos valores humanos. A partir do dia 09/03/20 a CIMD, iniciou a implementação progressiva e com rigor nas suas instalações do seu plano de contingência, orientado pelas normas difundidas pela DGS e com ligação regular com a Delegada de Saúde do concelho do Fundão de forma a aplicar em rigor todas as diretivas prescritas pela DGS e assim transmitir tranquilidade a todos os colaboradores.

Hoje, a CIMD e a suas instalações estão isoladas do exterior, com o único objetivo de proteger a saúde dos nossos colaboradores e seus familiares. No intuito de manter o nosso perímetro protegido de qualquer eventualidade, os nossos colaboradores foram esclarecidos de todas as regras definidas e implementadas pelo plano de contingência da CIMD, também foram aconselhados a dar a mesma importância a tais normas de higiene e proteção quando regressam a casa. É importante acreditar naquilo que fazemos juntos. Entre as medidas implementadas, de referir que todo o tipo de equipamentos de proteção foram e são disponibilizados, existem medições diárias de temperatura a cada colaborador à entrada, assim como o gesto simples de lavar as mãos passou a ser repetido constantemente, sem limite.

Pelo intermédio dos respetivos Chefes de Secção, todos os nossos colaboradores foram informados de que a CIMD, tem reunido todas as condições técnicas e de stocks para assegurar uma continuidade de produção de aproximadamente dois meses. Todos os dias existe uma análise e uma avaliação às estatísticas relacionadas com os resultados obtidos na evolução da curva de contágio nos distritos de Castelo Branco e Guarda, distritos de onde os nossos colaboradores são oriundos. Este acompanhamento constante e profundo torna-se relevante para assim, antecipar a qualquer momento, a possibilidade de paragem da atividade produtiva, dando prioridade à segurança e saúde dos nossos recursos humanos que são, mais do que tudo nossos amigos e excelentes profissionais.

A CIMD, terá sempre como pilar fundamental o respeito pela vida dos nossos colaboradores, e o bem-estar dos mesmos. Somos um grupo de pessoas unidas, conscientes do problema mundial que avassala também o nosso país, mas acreditamos que, respeitando as duras regras para nos proteger uns aos outros, iremos vencer este momento.

Quando regressamos a casa ao final do dia, sabemos que, ao respeitarmos todas as recomendações e medidas de segurança e proteção, contribuímos para garantir a saúde de todos, no conforto dos nossos lares que construímos ao longo dos anos. Sabemos que temos de manter as rotinas de higienização nos nossos perímetros e dos nossos familiares. É tempo de reaprender a estarmos mais tempo com os nossos, interagir com formas até já esquecidas. É importante aproveitar este momento e vê-lo como uma oportunidade crucial para repor as nossas prioridades pessoais, sociais e ambientais em ordem.

Hoje podemos assistir das nossas casas, ao maior desastre criado pela mão do homem (aparentemente) contra a própria espécie humana. Como pudemos chegar a uma situação destas? Como os estados puderam deixar as coisas ultrapassarem todas as linhas vermelhas? Como é possível que a historia nada ensinou aos governantes? Será que as democracias estão no bom rumo? Tanta pergunta face às tristes noticias diárias que invadem as nossas casas, quase em direto! Triste esta forma de sociedade que criámos, um dia teremos de colocar todas estas questões e muitas outras, em cima da mesa, para questionar qual direção deve nortear as sociedades futuras?

Hoje estamos com razão preocupados com os aspetos sanitários deste desastre,  mas também já podemos antever outro problema resultante do coronavírus, será a partir do próximo mês, observar os danos provocados no tecido económico Português e local, para não falar mundial!? Por isso iremos enfrentar estas duas situações com coragem e toda a energia possível. Quanto à CIMD, face à crise económica que se antevê, irá enfrentá-la com a mesma convicção de 2015. Iremos sempre pensar na empresa numa logica de futuro inserido num grupo forte e seguramente com um apoio robusto do governo, poderemos tranquilizar os nossos colaboradores.      

Mas hoje é com a crise sanitária que nos devemos preocupar, aprender novos hábitos de higienização pessoal e coletiva, de forma a proteger uns aos outros e reduzir radicalmente este “veneno incolor”, aplicando as diretivas do governo e da DGS.  Por isso, é imperioso ficar em casa, evitar contatos sociais até com os nossos progenitores, decisão difícil mas importante para salvaguardar as suas vidas. É essencial ficar em casa o maior tempo possível. Vamos contribuir para abrandar a propagação do vírus. Inventamos novas formas de ocupação, de distração para ocupar as nossas mentes, agora obrigadas a abrandar o ritmo acelerado em que nós as habituamos, erradamente talvez!? Mas hoje estamos isolados de todos. Virá o momento em que voltaremos a brindar juntos, com alegria e com o sentimento de vitória, porque acreditamos na humanidade! Acreditámos em nós!

Para os colaboradores da CIMD, um enorme e especial agradecimento público pela vossa coragem, determinação e por acreditarem em nós. Não o esqueceremos!

Para o resto da população um forte abraço cheio de esperança para aquilo que ai vem, desejando-vos felicidades no combate a este inimigo invisível!

 

Diretor Geral,

Carlos Morgadinho

 

- 25 mar, 2020
- Carlos Morgadinho