Fundadores: Vitor Aleixo e Ricardo Tavares
Diretor: Vitor Aleixo
Chefe Redação: Ricardo Tavares
Ano: IX
Nº: 426

Rotas Beirãs: Aldeia de São Francisco de Assis, uma verdadeira “aldeia monumento” Voltar

 

A Aldeia de São Francisco de Assis, freguesia da Covilhã é uma verdadeira “aldeia monumento” digna de visita atenta até para quem é de tão perto e acaba por não conhecer os pequenos paraísos que temos aqui tão perto. A Aldeia De São Francisco de Assis, outrora anexada primeiro à Barroca (Fundão) e depois ao Ourondo (Covilhã), tem uma enorme ligação às explorações mineiras, época em que cresceu muito e se tornou muito preponderante, principalmente na extração de volfrâmio. Era na altura das aldeias com mais movimentação na região, fruto dos muitos trabalhadores das minas que dormiam e passavam pela aldeia quando vinham para cá trabalhar. Hoje em dia, é uma das aldeias consideradas quase fantasma em termos de habitantes, com apenas 600 habitantes (dados de 2011). É portanto um paraíso que começa a ficar abandonado mas que tem ainda muito por contar e um ótimo sítio para conhecer e passear de forma tranquila e sem confusões. É portanto terra de mineiros e ainda hoje mantém essa simbologia bem presente, nomeadamente o Monumento ao Cristo Operário e os bairros habitacionais adjacentes às Minas da Panasqueira.

Passear por esta aldeia ainda hoje nos transmite esse lado mais industrial e mineiro, numa aldeia típica serrana e marcada muito pela utilização do xisto nas construções. O próprio semblante mais carregado no ar e os tons dos edifícios e ruas por onde passamos, fazem-nos sentir a vida difícil, dura e trabalhadora da altura. Para conhecer há ainda duas igrejas matrizes, com séculos de história para contar e de arquitetura muito interessante.

A proximidade ao Rio Zêzere e a possibilidade de se refrescar no Verão é outro dos elementos que chama muita gente à aldeia, na época do calor. E que venham e continuem a vir, para não deixarem que morra a tradição e a história que nos trouxe até aqui.

 

- 16 jun, 2020
- Fernando Gil Teixeira