Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso websiteAo navegar com os cookies ativos consente a sua utiliza

Fundadores: Vitor Aleixo e Ricardo Tavares
Diretor: Vitor Aleixo
Chefe Redação: Ricardo Tavares
Ano: VI
Nº: 303

Parabéns fórum Covilhã, Muitos anos de vida Voltar

FÓRUM COVILHÃ
As limitações económicas colocam entraves aos projectos – o jornalismo não é excepção. Mas ao contrário do que se pensa, não é o dinheiro que faz bom jornalismo, são os bons profissionais. Quando estão nas mãos de jornalistas movidos por ganancias e vinganças pessoais, os jornais perdem a credibilidade. Ora, a credibilidade é o grande património de um jornal. Uns têm, outros não. Deitar mais dinheiro em maus profissionais é tornar os erros ainda mais caros.
Este é o conselho que se pode deixar em tempo de aniversário deste jornal – aprender com erros próprios e com os erros dos outros. O futuro é de quem aprender mais rápido e ganhar mais reputação como património.

MUITOS ANOS
Os velhos valorizam o caminho percorrido, os novos exultam com o caminho ainda por percorrer. Mas o passado é memória e o futuro incerteza. No presente estão todos em linha. A afirmação de um projecto jornalístico faz-se dia-a-dia, com um olhar para as realidades, os pontos fortes e também os pontos fracos. O jornalismo de papel vai enfrentar novos desafios. A aceleração da informação nos novos meios de comunicação, vai tornar o processo de impressão demasiado moroso para responder às necessidades dos novos públicos. Daqui a mais cinco anos o Fórum Covilhã terá de ser um jornal diferente e inovador. Já pensaram nisso? Quais são os vossos pontos fortes?

DE VIDA
Acabou o tempo dos projectos para toda a vida, das empresas que passavam de gerações em gerações. Já nada é eterno. Uns acabam em fracasso outros reorganizam-se em novos conceitos, transmutam-se para novas formas de actuar. Seja o que for que o futuro reserve ao Fórum Covilhã, a base terá de ser sempre a mesma, independência mental, capacidade de observação crítica, ousadia e profissionalismo. Esta fórmula fez e fará sempre a diferença. E em breve vão chegar a uma conclusão, cinco anos foi só um estágio, daqui para a frente é que vai ser em grande… Força!

- 29 Nov, 2016
- João Morgado