Fundadores: Vitor Aleixo e Ricardo Tavares
Diretor: Vitor Aleixo
Chefe Redação: Ricardo Tavares
Ano: VII
Nº: 376

GNR garante que não serão encerrados postos no distrito Voltar

CELEBRAÇÃO. Nas comemorações do décimo aniversário do Comando Territorial que decorreram na cidade da Covilhã foi assegurada pelo Coronel Jorge Ludovico Bolas que nenhum posto no distrito de Castelo Branco a funcionar em regime de atendimento reduzido irá encerrar

A GNR comemorou na passada semana o décimo aniversário do Comando Territorial, onde na cerimónia militar comemorativa realizada no dia 27 de março, Dia da Unidade do Comando, o Coronel Jorge Ludovico Bolas garantiu que não é intenção da GNR de Castelo Branco encerrar os postos do distrito que estejam a funcionar em horário de atendimento reduzido.

No momento atual a GNR de Castelo Branco tem 700 operacionais, homens, mulheres e militares civis, sendo que para Jorge Ludovico, “para a segurança nunca somos muitos, somos sempre poucos, mas nestas áreas do interior sofremos um pouco nos efetivos e portanto, na sua redução”. Para o Comandante os postos territoriais necessitariam de ter aproximadamente 24 militares, sendo que neste momento dos 31 postos, existem 14 a funcionar em regime de atendimento reduzido.

O Coronel afirma ainda que relativamente ao encerramento dos postos no distrito de Castelo- Branco e projeto-piloto testado em 2018, “é um cenário que nunca esteve em cima da mesa”.

Jorge Ludovico afirma que este “é um território demasiado grande para equacionar encerramentos” colmatando ainda que, “a malha deve-se manter agora a funcionamento e a organização deve ser minimizada nas áreas administrativas que foi o que já fizemos para assim libertar gente para a patrulha”.

No ano passado o Comando Territorial recebeu ainda 30 novos militares e também oito viaturas, de modo a serem colmatadas as saídas que ocorreram, entretanto, para o grupo de intervenção de combate a incêndios florestais. O Comandante da GNR afirmou ainda que a entrada dos militares foi no sentido de, “estabilizar, deu mais ao efetivo que permitiu ajudar e um ou dois militares fazem toda a diferença, mas essencialmente foi para cumprir as falhas que tivemos”.

Ainda durante a cerimónia que decorreu na Alameda da Europa o Militar salientou os problemas da região relativamente à desertificação e ao desinvestimento no interior, afetando assim também o Comando Distrital da GNR. “Sabemos que a segurança interna é um dos fatores fundamentais na fixação de pessoas e negócios”, afirmou ainda o Comandante colmatando ainda com o facto de que, “o nosso compromisso com o distrito de Castelo Branco torna-se ainda mais importante e estamos completamente solidários com o nosso interior”.

No seu discurso Jorge Ludovico fez ainda um balanço da atividade operacional desenvolvida no último ano, referindo que foi possível alcançar resultados operacionais positivos. Tocando na sinistralidade o Comando Distrital em 2018 conseguiu contrariar a tendência nacional de aumento de sinistros, referindo o comandante que, “tivemos menos vítimas e menos acidentes o que só nos pode encher de orgulho”. Para além da sinistralidade o coronel salientou ainda a presença mais visível e dissuasora no terreno bem como um maior destacamento de intervenção mais presente no apoio a incidentes, “melhorámos também o nosso sistema de prevenção de fogos florestais que nos assegurou uma diminuição de 33,4% do número de casos registados de focos de incêndio entre 2017 e 2018” referiu ainda o responsável.

Jorge Ludovico falou ainda da situação do Posto da GNR do Tortosendo, sendo que o Comandante salientou a parceria que tem vindo a ser feita com várias autarquias no sentido de melhorar as condições de funcionamento do Posto, afirmando que, “não existe ainda localização definida, não somos nós que definimos”. A localização do Posto será definida entre o município e o Ministério da Administração Interna.  

- 02 Abr, 2019
- Rita Mateus
- Jornal Fórum Covilhã
}