Fundadores: Vitor Aleixo e Ricardo Tavares
Diretor: Vitor Aleixo
Chefe Redação: Ricardo Tavares
Ano: VII
Nº: 376

Abril, mês da prevenção dos maus-tratos na infância Voltar

PREVENÇÃO. Desde o início do século XXI, que o mês de abril é assinalado como o mês Internacional da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância em muitos países, incluíndo em Portugal. A Comissão de Protecção de Crianças e Jovens da Covilhã aliou-se como de costume a esta causa, lançando o seu próprio calendário de afectos para este mês

Desde o início do século XXI que o mês de Abril serve para alertar para a necessidade de prevenir os maus-tratos na infância das crianças e jovens de todo o mundo. Portugal, principalmente através das suas Comissões de Protecção de Crianças e Jovens, as CPCJ, tem ao longo dos últimos anos dinamizado diversas actividades alusivas à data e à temática, e este ano não foi excepção, tendo a CPCJ da Covilhã aderido a estas atividades.

Este mês serve no fundo para sensibilizar toda a população e e sociedade para esta problemática e a necessidade de todos estarem atentos e conscientes desta realidade que são os maus-tratos praticados contra jovens, principalmente dentro do próprio seio familiar. Pode ler-se no programa original da actividade que o grande objectivo da mesma é “a sensibilização e o combate” desta realidade, algo que “exige um esforço conjunto, de todos”, sendo “preciso alargar o esforço e torna-lo cada vez mais transversal e eficaz na sociedade portuguesa”. Os números de violência contra crianças e jovens continuam a ser alarmantes, apesar de virem em decrescendo nos últimos anos. A APAV em 2017 registou 1286 crimes desta natureza, menos 103 que em 2016. Convém relembrar que ainda actualmente mais de 60% dos crimes em causa são praticados pelos pais em relação aos seus próprios filhos, sendo de longe o tipo mais comum de crime de violência desta índole, comparando com casos de violência por colegas ou outros familiares. Ponto positivo que a APAV faz questão de salientar é o aumento do número de queixas, mostrando que as pessoas estão cada vez mais alerta para esta realidade, não se mantendo indiferentes a agressões que costumam ser continuadas e não apenas situações únicas e pontuais.

A CPCJ da Covilhã aliou-se a esta atividade e marcou o seu arranque logo no dia com a realização de um laço azul humano no Jardim das Artes, através da colaboração de diversos alunos do concelho, já que o laço azul é o símbolo desta luta contra os maus-tratos na infância. Além disso, elaborou o seu próprio calendário dos afectos, calendário este que se estende por todo o mês, com uma pequena atividade ou gesto para os pais e outros familiares realizarem em conjunto com os seus filhos, de forma a promover o bom ambiente no seio familiar.

- 09 Abr, 2019
- Fernando Gil Teixeira
}