Fundadores: Vitor Aleixo e Ricardo Tavares
Diretor: Vitor Aleixo
Chefe Redação: Ricardo Tavares
Ano: VII
Nº: 397

GD Mata/AAUBI de excelência Voltar

CERTIFICAÇÃO. O projeto de futsal do Grupo Desportivo da Mata / Associação Académica da Universidade da Beira Interior, com mais de cem atletas inscritos na Associação de Futebol de Castelo Branco, foi reconhecido como “uma das melhoras” entidades formadoras do país na área do futsal

O projeto de futsal do Grupo Desportivo da Mata / Associação Académica da Universidade da Beira Interior (GDM/AAUBI) foi certificado como uma das melhores academias do país pela Federação Portuguesa de Futebol, na semana transata, obtendo a classificação de quatro estrelas.

Esta distinção coloca o GDM/AAUBI “no top 10 das melhores academias de formação no futsal a nível nacional e reconhece aquela que é a melhor academia com menos de cinco anos de existência”, afirmou Pedro Bernardo, um dos diretores deste projeto, acrescentando que “apenas três entidades desportivas conseguiram melhores resultados que nós”.

O processo de certificação é fundamental para a evolução do projeto de futsal GDM/AAUBI, pois qualquer clube que queira ter contratos de formação com atletas tem de ser certificado e a certificação será obrigatória para todos os clubes que queiram participar em campeonatos nacionais a partir da época 2020/2021. “Claramente perspetiva muitos e bons resultados para o futuro e que queremos para a Covilhã, para os nossos jovens atletas e acima de tudo para aquilo que é o crescimento do futsal na região da Beira Interior”, afirmou Pedro Bernardo.

Este processo de certificação como entidade formadora “vai acrescentar em termos organizacionais um valor desmesurável do ponto de vista do treino, da organização do clube, na formação e também na área médica”, disse. A certificação acrescenta também “muita responsabilidade”, notou, sublinhando que “vai obrigar o clube a desenvolver e garantir para a próxima época muita qualidade. É um salto muito grande, mesmo para a confiança dos pais para com o clube na prática desportiva”, assinalou Pedro Bernardo.

Nesse sentido, destacou a presença de um médico especializado em medicina desportiva, “algo importantíssimo para aquilo que é o acompanhamento médico dos nossos atletas”. Também em recursos o clube beneficiou com este processo de certificação. “Adquirimos um desfibrilhador e que oferecemos à Universidade e que vai estar a uso nos pavilhões da UBI. Só por si é uma mais-valia do ponto de vista da segurança para todos os praticantes de desporto nestes pavilhões”, além da aquisição de “malas médicas capacitadas para dar uma primeira intervenção muito avançada”. Também a componente de treino “será melhorada” por efeito deste processo de certificação. “Temos uma estrutura que vai permitir de forma sustentada acrescentar e termos cada vez mais e melhores resultados, não só a nível de formação, mas também no nosso projeto sénior que será sempre alimentado pela base formativa”.

Um dos fundadores deste projeto, Pedro Bernardo afirma que sonhou “em criar algo novo, diferente e com qualidade acrescentada para o panorama desportivo da Covilhã. Esta certificação é o concretizar de um sonho”.

Neste trajeto, Pedro Bernardo destaca a colaboração de diversos parceiros, nomeadamente a Universidade da Beira Interior por “todo o apoio que tem dado ao projeto”, a Clínica Campos Rosa, “um parceiro fundamental para o desenvolvimento de toda a área médica. Inexcedível em toda a sua colaboração”, refere e a Associação de Futebol de Castelo Branco (AFCB) que “dentro deste processo de certificação teve uma postura muito colaborativa, sempre disponível para esclarecer dúvidas”.

Esta união de esforços vai de encontro ao slogan do clube «Juntos Vamos Longe». “Muitas vezes quando se fala em interior e em desenvolvimento de projetos desportivos nesta região associa-se muito uma certa inferioridade, destacando-se que no litoral há mais gente, mais financiamento e mais infraestruturas. Neste projeto conseguimos dar a volta às adversidades com muito trabalho, de uma forma perspicaz. Ninguém desta estrutura depende do futsal e pouco ou nada recebem. Todos os elementos têm uma vida profissional e este é como se fosse um segundo emprego”, disse.

Além da participação dos escalões de formação nos campeonatos nacionais, da equipa sénior no campeonato distrital que pretende vencer, Pedro Bernardo destaca a realização dos Campeonatos Nacionais Universitários este ano, na Covilhã, afirmando que “queremos claramente ser campeões nacionais”.

Dario Gaspar

“Queremos ser campeões distritais”

Dario Gaspar será o treinador da equipa sénior na próxima época e, na conversa com o Jornal Fórum Covilhã, traçou os objetivos que pretende atingir.

“Este ano tem de ser o ano de dar o salto, na perspetiva de termos de ser campeões distritais, para colocarmos este clube em patamares nacionais. Não vai ser tarefa fácil, todas as equipas que participam no campeonato distrital sabem que esta época vai ser uma boa oportunidade, porque este ano não desceu nenhuma equipa ao campeonato distrital”, começou por referir.

O plantel está “quase fechado” e Dario Gaspar adianta que “naturalmente a base será a formação ou alunos que frequentam a UBI e apenas três atletas não reúnem estas condições. Temos uma equipa jovem, com uma idade média de 20 anos, extremamente ambiciosa e prometemos muito trabalho diário, para que se consiga esse tão desejado título distrital e que esta academia merece face ao percurso que tem tido”.

Sobre o processo de certificação, o treinador da equipa sénior do GDM/AAUBI afirma que “traz responsabilidade”. A pré-época do GDM/AAUBI começa no dia 27 de agosto e as competições oficiais “depende do calendário da AFCB”, mas “será provavelmente no início de outubro”.

Arménio Coelho

“Um reconhecimento muito grande do trabalho efetuado”

Arménio Coelho, um dos fundadores do projeto GDM/AAUBI, orientou na época transata a equipa sénior e na próxima vai treinar o escalão de juvenis (sub-17). “Muita paixão e muito rigor e competência naquilo que se faz”, afirma que foi a receita neste processo de certificação que significa “um reconhecimento muito grande do trabalho efetuado”, destacando que na época desportiva 2018/2019 foram realizados 920 treinos e 173 jogos oficiais.

Arménio Coelho destacou também a ligação do projeto com a Universidade. “Pretendemos ter cada vez mais estudantes a virem para a UBI, afirmando o futsal como identidade na perspetiva desportiva não só da Universidade, mas também da Covilhã”, disse.

Nestes cinco anos do projeto GDM/AAUBI, 17 atletas entraram na UBI à «conta do futsal» e na próxima época, Arménio Coelho perspetiva que “sejam mais sete alunos a entrar na academia beirã”. “Muitos não são da Covilhã, são alunos de fora que vêm estudar para a UBI. Viram no projeto e no clube essa mais-valia de trabalharem connosco, trazerem outras realidades para dentro e a partir daí estamos a crescer. Crescemos da forma que crescemos dada esta seriedade e capacidade integradora dessas pessoas”, explicou

Também 24 alunos estagiários do 3º ano de licenciatura em Ciências do Desporto na UBI “fizeram estágio no clube e obtiveram equivalência ao grau I de treinador de futsal”, revelou Arménio Coelho.

Bruno Travassos

“É uma referência daquilo que de bom se faz ao nível da formação no futsal”

Bruno Travassos, docente do departamento de Ciências do Desporto da UBI e um dos percursores do projeto, destaca que o processo de certificação afirma “a Academia de Futsal GDM/AAUBI como uma referência daquilo que de bom se faz ao nível da formação no futsal, formando não só jogadores como também treinadores”.

O departamento de Ciências do Desporto da UBI congratula-se por ser parceiro deste projeto desde o início. “Somos parceiros em termos de formação de treinadores e damos todo o suporte em termos da parte pedagógica”, disse, acrescentando que “afirmar a formação do jogador de futsal e permitir o desenvolvimento do jogador português, e particularmente, do jogador da Covilhã e do distrito de Castelo Branco são os grandes objetivos que pretendemos alcançar”.

- 11 Jun, 2019
- Ricardo Tavares